Comitê Estadual promoveu Audiência Pública na ALEP

 na categoria Boletins

Por iniciativa do Comitê Estadual em Defesa do Ensino Superior Público do Paraná e da Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, além de outras comissões permanentes da Assembleia, realizou-se na terça-feira dia 11 de julho uma audiência pública para discutir “OS DESAFIOS DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO PARANÁ”.

Durante o evento, reitores, deputados, dirigentes dos sindicatos, DCE´s, professores, técnicos e estudantes se manifestaram em defesa da autonomia das universidades estaduais atacadas pelo governo Beto Richa.

Mais de 200 pessoas lotaram o plenarinho da ALEP e, de forma unânime, aprovaram dois documentos apresentados: uma CARTA ABERTA EM APOIO ÀS UNIVERSIDADES ESTADUAIS e um documento do Comitê Estadual intitulado CARTA à ALEP POR ACASIÃO DA AUDIÊNCIA PÚBLICA “OS DESAFIOS DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR DO ESTADO DO PARANÁ. Participou também um representante da Defensoria Pública que apresentou um documento em defesa autonomia universitária. (Para acessar clique no texto destacado).

O Comitê aproveitou a tribuna da Assembleia Legislativa para apresentar a sua proposta aos deputados, com o intuito de destravar o impasse criado pelo próprio governo, ao condicionar as universidades a aderirem ao sistema RHMeta4:

No sentido de resolvê-los, os sindicatos que compõem o Comitê estão dispostos a dialogar com o governo do Estado e com os reitores sobre a gestão das universidades, bem como promover a uniformização dessa gestão nas sete universidades.  O Comitê Estadual em Defesa do Ensino Superior Público do Paraná entende, porém, que este diálogo deve ocorrer respeitando o princípio constitucional previsto nos artigos 207 e 180 das constituições federal e estadual, respectivamente, com o objetivo de garantir o exercício da autonomia universitária e o acordo assinado entre governo e sindicatos em 2015 que prevê a retirada das universidades (UENP e UNESPAR) do sistema de RH Meta4, como primeira ação de uniformização, e com a tramitação do projeto de Lei proposto pela SETI, que assegura o TIDE (Tempo Integral e Dedicação Exclusiva) como regime de trabalho da carreira docente.

A audiência pública também aprovou uma série de encaminhamentos que deverão ser efetivados na sequência: “Realização de Audiências Públicas nas cidades onde estão as universidades, convidando toda a comunidade (preferencialmente fora do Campus; Convidar a Defensoria Pública para participar do Comitê das IEES; Viabilizar uma intervenção do reitor, Mauro Baesso, no plenário da ALEP e, se possível também, de um representante do Comitê, mesmo que em momentos distintos; Que todas as decisões do Comitê sejam publicitadas; Criação de um site do Comitê; Solicitar informações ao Governo do Estado, sobre o custos do software RH-Meta; Que o Comitê estude alternativas jurídicas para combater os ataques do governo às IEES”.

O Sindiprol|Aduel participou da preparação da audiência na reunião do Comitê em Maringá, no dia 6 de julho, e também da audiência pública na ALEP. Na audiência da ALEP, o presidente do Sindiprol|Aduel representou o Comitê na mesa.

Nos próximos dias o Sindicato promoverá reuniões com os docentes por centro e campi para avaliar a conjuntura e propor novas ações para enfrentar as ameaças aos nossos direitos.

 

Campanha em apoio à UEL é um sucesso!

Durante a Feira das Profissões, realizada no dia 28 de junho, foi lançada a campanha TODO APOIO A UEL, com a instalação de uma barraca em frente à Biblioteca Central do campus, onde distribuímos adesivos, panfletos, botons e bandanas alusivos a ela.

Também nesse dia, entrou no ar a fanpage da campanha no Facebook ( https://www.facebook.com/TodoApoioUEL/ ), onde estão sendo divulgados depoimentos de pessoas da comunidade externa em defesa da universidade, banners, textos e outros materiais com a intenção de ampliar o apoio à universidade na comunidade.

Acompanhe e divulgue esta campanha!

Postagens Recentes

Deixar um comentário

Digite o que procura e aperte a tecla Enter para pesquisar