Nós não esqueceremos! 29 de abril de 2023: 8 anos do Massacre do Centro Cívico

Em 29 de abril de 2015, milhares de manifestantes protestavam, no Centro Cívico, em Curitiba, contra a tentativa do governo Beto Richa de atacar e saquear nosso fundo previdenciário. Enquanto deputadas e deputadas aprovavam, como de costume na Alep, os projetos do executivo contra o funcionalismo público e os direitos de nossa categoria, a PM, comandada pelo então secretário Fernando Francischini, começou o massacre que duraria mais de uma hora. Foram golpes de cassetete, jatos de spray de pimenta, bombas e balas de borracha disparadas contra servidoras e servidores públicos. 

Mais de 200 pessoas ficaram feridas enquanto protestavam por um direito surrupiado pelo governo do estado do Paraná. E, até hoje, ninguém foi responsabilizado pelo massacre! Nós não esqueceremos! Saiba mais sobre o massacre acessando os materiais e assistindo aos documentários abaixo.

No ano seguinte, o governo Richa daria início a mais um ataque contra nossa categoria: o arrocho salarial. Iniciado naquele momento, com a quebra do acordo da greve (acordo cujos 3,39% a que temos direito o governo atual segue se negando a pagar, mesmo com decisão judicial em nosso favor), a situação só piorou com o governador Ratinho Jr., que foi secretário durante os dois mandatos de Beto Richa. 

Com o arrocho intensificado pelo atual governo, já acumulamos 42% de perdas salariais e, por enquanto, faltando dois dias para a data-base, a única “proposta” que temos é a de 5,79% para agosto. Em resposta à pífia “proposta”, docentes das sete universidades estaduais do Paraná já aprovaram indicativo de greve para maio. 

Nós não esqueceremos do 29 de abril e não deixaremos de lutar pelo nosso direito à reposição salarial! 

Data-base já!  

Reposição salarial integral já!  

Acesse o “Cadernos da Greve – Comissão de Ética”, publicado pelo Sindiprol/Aduel em abril de 2016, no qual, entre as páginas 11 e 26, há uma reconstituição do movimento grevista das universidades estaduais do Paraná entre fevereiro e julho de 2015

Assista ao documentário “Registros de um massacre”, feito a partir de fotografias tiradas por docentes da Unioeste.

Assista ao documentário “Massacre 29”, produzido por docentes e estudantes da UEPG. A parceria é do projeto de extensão Lente Quente, do programa Agência de Jornalismo, além da TV comunitária e do Sinduepg.

Assista ao documentário “Luto pela Educação – Greve Geral dos(as) educadores(as) do Paraná 2015”, da APP-Sindicato.

Chapa 1 é eleita para liderar o Andes-SN no biênio 2023-2025

A Comissão Eleitoral Central (CEC) promulgou, nesta terça-feira (16/05), o resultado oficial das eleições para a direção do Andes-Sindicato Nacional.

Com 7.058 votos, a “Chapa 1 – Andes pela Base: ousadia para sonhar, coragem para lutar” irá liderar o Sindicato no biênio 2023-2025.

* Percentual calculado em relação ao número de eleitoras e eleitores. ** Percentuais calculados em relação ao número de votantes. *** Mediante errata encaminhada pela ADUFU, no prazo regimental e comprovada com a documentação encaminhada, foi corrigido o resultado da Apuração.

————————

Nas eleições que serão realizadas nos dias 10 e 11 de maio, três chapas disputam a direção do Andes-Sindicato Nacional para o biênio 2023-2025: “Chapa 1 – Andes pela Base: ousadia para sonhar, coragem para lutar”; “Chapa 2 – Andes Classista e de Luta”; e “Chapa 3 – Renova Andes”. Esta é apenas a segunda vez na qual três chapas concorrem no pleito, o qual foi aberto durante o 41º Congresso do Sindicato Nacional. A primeira – e até então única –  foi em 1996.  

Dias, horários e locais para votação (apenas para filiadas e filiados ao Sindiprol/Aduel)

Quarta e quinta-feira (10 e 11/05) – docentes da UEL e aposentadas e aposentados da universidade:

– Centro de Vivência: 9h – 12h e 13h – 17h30

Quarta-feira (10/05) – docentes da Uenp e aposentadas e aposentados da universidade*:

– Hall do auditório PDE – campus Jacarezinho: 19h – 21h (durante a assembleia docente)

*Docentes que não conseguirem votar durante a assembleia também poderão votar no Centro de Vivência, que fica no campus da UEL, nos mesmos dias e horários anteriormente mencionados.

Materias de campanha

Veja o Informandes de abril de 2023, que tem como tema principal as eleições para a direção do Andes-SN.

Acesse as pastas com todos os materiais de campanha enviados pelas chapas até o dia 8 de maio:

Chapa 1

Chapa 2

Chapa 3

Debate na UEL

Para conhecer as chapas e as propostas para a direção do Sindicato Nacional, no dia 26 de abril (quarta-feira), foi realizado um debate entre elas no Centro de Vivência do Sindiprol/Aduel. Confira fotos do debate no Instagram.

Acesse todos os materiais e as circulares do Andes-SN sobre as eleições

(Atualizado no dia 17 de maio de 2023 para incluir o resultado as eleições.) 

Informe sobre a assembleia docente da UEL de 18/04/23

Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (18/04), no Anfiteatro Maior do CLCH, as e os docentes da UEL aprovaram, por unanimidade, três encaminhamentos para a sequência da luta:

  1. Reafirmar a centralidade da luta pela recomposição das perdas salariais de 42%;
  2. Aguardar a proposição oficial do projeto de lei que altera a carreira docente;
  3. Indicar para o Comando Sindical Docente (CSD) a preocupação com a possível desigualdade entre o piso dos agentes universitários de ensino superior e os docentes das universidades públicas do Paraná.

Uma próxima assembleia será convocada em breve para deliberar sobre o indicativo de greve, cuja aprovação foi realizada na assembleia da UEL do dia 11 deste mês.

Data-base já!
Reposição salarial integral já!

Baixe a apresentação feita na assembleia da UEL sobre a proposta de alteração na carreira docente

Na terça-feira (18), assembleia docente sobre a data-base e para apreciar a proposta de minuta que altera a carreira docente

Conforme deliberado na assembleia docente da UEL de terça-feira (11), quando as e os docentes, em luta pela reposição salarial integral de 42%, aprovaram o indicativo de greve para a primeira semana de maio, na próxima terça (18), às 13h30, será realizada uma nova assembleia para discutir a data-base e apreciar a proposta de minuta que altera a carreira docente. Baixe aqui a minuta completa e uma apresentação da proposta.

Pauta:

1) Data-base;
2) Apreciação da proposta de minuta que altera a carreira docente.

Data e horário: terça-feira (18/04) às 13h30 (2ª chamada às 14h)
Local: Anfiteatro Maior do CLCH

Pela reposição salarial, docentes da UEL e da Uenp aprovam indicativo de greve para a primeira semana de maio

Em assembleia realizada no dia 11 de abril, segundo dia de paralisação docente das universidades estaduais do Paraná, as e os docentes da UEL aprovaram, com uma única abstenção e nenhum voto contrário, o indicativo de greve para a primeira semana de maio. O primeiro dia de paralisação foi em 15 de março e, dessa segunda vez, todas as categorias docentes cruzaram os braços (UEL, UEM, Unioeste, UEPG, Unicentro, Unespar e Uenp). Confira mais informaçoes sobre a assembleia abaixo.

No caso da Uenp, em assembleia virtual realizada no dia 20 de abril, as e os docentes também aprovaram, por unanimidade, o indicativo de greve para a primeira semana de maio. Assim, a categoria se soma aos docentes de UEL, Unioeste, Unicentro e Unespar, que já aprovaram o indicativo. Na UEM, a assembleia para deliberar sobre ele será na segunda-feira (24).

—————————

Assembleia docente da Uenp de 20/04/23

Em assembleia virtual realizada no dia 20 de abril, as e os docentes da Uenp aprovaram, por unanimidade, o indicativo de greve para a primeira semana de maio. Assim, a categoria se soma aos docentes de UEL, Unioeste, Unicentro e Unespar, que já aprovaram o mesmo indicativo. No caso da UEM, a assembleia para deliberar sobre ele será na segunda-feira (24).

Além do indicativo de greve pela reposição dos 42% de defasagem salarial acumulada nos últimos sete anos, docentes da Uenp apoiam a tramitação e aguardam a proposição oficial do projeto de lei que altera a carreira docente.

Uma próxima assembleia será convocada em breve para deliberar sobre o indicativo de greve aprovado no dia 20 de abril.

Data-base já! 

Reposição salarial integral já! 

—————————

Assembleia docente da UEL de 11/04/23

Sem nenhuma novidade em relação à data-base desde a última assembleia, realizada no dia 5 de abril (confira mais informações aqui), ou seja, permanecendo a pífia proposta de 5,79% para agosto, anunciada sem nenhum tipo de diálogo pelo governador Ratinho Jr., e sem nenhuma proposta de recomposição dos 42% de defasagem salarial acumulados nos últimos sete anos, a resposta enviada pela categoria docente da UEL foi a aprovação do indicativo de greve para a primeira semana do mês de nossa data-base.  

Na assembleia, também foi constituído um comando de mobilização com representantes de todos os nove centros da UEL, de modo a fomentar a categoria docente de maneira mais próxima aos locais de trabalho. 

Acesse a campanha salarial de 2023 do Sindiprol/Aduel: 42% a menos faz muita diferença… DATA-BASE JÁ!   

Carreira docente 

Em relação à carreira docente, foi feito um breve informe sobre o estado da proposta do grupo de apoio da Seti (saiba mais no boletim de semana passada) e deliberado pela realização de uma outra assembleia, na próxima terça-feira (18), cujo ponto de pauta e deliberação será a alteração na carreira docente. A assembleia está marcada para as 14h, mas o local será confirmado e divulgado posteriormente. (Confira as informações sobre a assembleia aqui.)

Data-base já! 

Reposição salarial integral já! 

(Atualizado no dia 20/04/23 para incluir a deliberação da assembleia da Uenp)

Na terça-feira (11), às 9h, assembleia docente da UEL para votar indicativo de greve para maio

Conforme aprovado na assembleia da UEL de quarta-feira (5), que também deliberou pela paralisação das atividades no dia 11 de abril (confira mais informações aqui), o Sindiprol/Aduel convoca as e os docentes da universidade para assembleia com a seguinte pauta:

1) Indicativo de greve para a primeira semana de maio;
2) Organização de comissões para a greve.

Data e horário: terça-feira (11/04) às 9h (2ª chamada às 9h30)
Local: Anfiteatro Maior do CLCH

Docentes da UEL e da Uenp aprovam paralisação das atividades no dia 11 de abril; confira mais informações

Em assembleias docentes realizadas na tarde de quarta (5), as e os docentes aprovaram a paralisação das atividades na UEL e na Uenp no dia 11 de abril. Professores de UEM, Unioeste, UEPG, Unicentro e Unespar também realizaram assembleias nesta tarde e cruzarão os braços na terça-feira. 

Na UEL, a assembleia foi realizada no Anfiteatro Maior do CLCH e a paralisação foi aprovada por unanimidade. Também foi aprovada a convocação de uma nova assembleia para o dia da paralisação, com um indicativo de greve para a primeira semana de maio (veja mais abaixo). Na Uenp, ela foi virtual e a paralisação foi aprovada com uma abstenção e um voto contrário. 

A paralisação foi aprovada por unanimidade na UEL

Informe sobre a carreira docente 

Como primeiro ponto de pauta, com transmissão para as assembleias das outras seções sindicais do estado, foi feito um breve informe sobre as discussões referentes à carreira docente. Em linhas gerais, explicou-se que o grupo de apoio à Seti foi puxado pelas pró-reitorias com o objetivo de alterar, prioritariamente, a carreira dos técnicos, que, tanto pelo piso quanto pelo fluxo de desenvolvimento, é pouco atrativa. Há representantes sindicais no grupo, mas eles atuam mais como observadores do que como proponentes. De qualquer modo, como pensada até o momento, a proposta parece que vai incorporar algumas das demandas que, historicamente, foram elaboradas e defendidas pelos sindicatos.  

Com relação aos docentes, há uma discussão que envolve a elevação dos Adicionais de Titulação (ATs) para, respectivamente, 45%, 70% e 100%, bem como para a equiparação do piso dos docentes com o piso estadual da educação básica vigente até o momento, de R$ 3.903,00. Também se discute a incorporação na carreira do nível Associado D e, como desenvolvimento e não concurso, do Professor Titular. 

De todo modo, foi reiterado que não é um grupo do governo como um todo (não inclui Seap, Sefa e Casa Civil, por exemplo) e tampouco já existe uma proposta oficial – ou seja, não podemos contar que essa proposta seja uma resposta à perda do nosso poder de compra. 

Proposta do governo e paralisação no dia 11 de abril 

Na sequência, foi apresentada a proposta de reposição salarial de 5,79% anunciada pelo governador Ratinho Jr. De maneira autoritária e sem negociação alguma, o governo, além de enviar um índice muito abaixo de nossas reivindicações, disse que enviará o projeto apenas em julho, sendo assim, o acréscimo nos salários está previsto para agosto. A data-base, para relembrar, é no dia 1º de maio. Ou seja, uma proposta ínfima, que não vai ao encontro de nossas necessidades, não é fruto ou abre qualquer negociação e ainda contraria a data para a qual está prevista a implantação do nosso direito. 

Por isso, as e os docentes presentes aprovaram a paralisação e a continuidade da luta em favor da reposição dos 42%, que é o montante da defasagem salarial. Na UEL, também foi deliberada a realização de uma nova assembleia no dia da paralisação (11/04), a fim de votar um indicativo de greve para a primeira semana de maio. Confira a convocação completa: 

No dia 11 de abril, também serão realizadas panfletagens. A concentração será às 8h, no Centro de Vivência do Sindiprol/Aduel, que fica no campus da UEL próximo ao Sebec. Contamos com sua presença! 

Ainda no dia 11, uma comissão de quatro ou cinco docentes de cada seção sindical levará uma carta do Comando Sindical Docente (CSD) a Curitiba. Na capital, ela será entregue aos deputados estaduais, de modo a expor a enorme defasagem salarial e reivindicar a recomposição de nossas perdas.  

Acesse a campanha salarial de 2023 do Sindiprol/Aduel: 42% a menos faz muita diferença… DATA-BASE JÁ!  

Data-base já!  

Reposição salarial integral já! 

(Atualizada no dia 10/04 às 15h50 para alterar o horário e o local da panfletagem.)