4º Boletim de Greve da UEL

 em Boletins

Em Assembleia realizada nesta quinta-feira (18), no Anfiteatro Cyro Grossi “Pinicão” do CCB da UEL, os Docentes da Universidade Estadual de Londrina deliberaram, por ampla maioria, pela rejeição da proposta salarial feita pelo governo estadual. A proposta prevê o pagamento de 5,08% de forma parcelada. A primeira parcela, de 2%, seria paga em janeiro de 2020. As outras duas, de 1,5%, ficariam para os meses de janeiro de 2021 e de 2022, mas que somente serão pagas se houver disponibilidade financeira do estado. Uma das diferenças para a proposta anterior, que também foi rejeitada, é que, na primeira, haveria pagamento de 0,5% em outubro deste ano e 1,5% em janeiro do ano que vem.

A suspensão da greve, especificamente, não foi deliberada, por não ter sido encaminhada para votação por nenhum dos presentes. A deliberação da Assembleia foi pela rejeição da proposta salarial do governo e manutenção de negociações referentes à pauta da greve: reposição salarial de 17,04% (referentes aos últimos três anos e meio sem data-base), novos concursos, nomeação dos servidores já concursados e a retirada da Lei Geral das Universidades e do PLC 04/2019.

Como próximas atividades de greve, a Assembleia encaminhou uma reunião do Comando de Greve nesta sexta-feira (19), no Centro de Vivência do Sindiprol/Aduel (campus próximo ao Sebec), às 15h. A segunda-feira (22) e terça-feira (23) serão utilizadas para debates por Centros de Estudo sobre a LGU. As reuniões serão marcadas e divulgadas posteriormente. Uma nova Assembleia está previamente convocada para a próxima quarta-feira (24), no período da tarde. Horário e local ainda serão confirmados.

Outra proposta aprovada na Assembleia foi a de encaminhar um pedido para que o reitor convoque uma Assembleia Geral Unificada (docentes, técnicos e estudantes), com o objetivo de discutir, junto à toda a comunidade universitária, a LGU e os impactos dela na universidade.

Calendário fora da UEL

Em virtude de uma reunião da APIESP (Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público), nesta sexta-feira (19), na UEM (Universidade Estadual de Maringá), o Comando Sindical Docente (CSD) está se mobilizando para ter um espaço nela e apresentar sua avaliação da LGU aos reitores presentes. Este mesmo Comando irá se reunir no domingo (21) em preparação para a reunião de segunda-feira (22) com o superintendente da Seti (Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior), Aldo Bona, também na capital paranaense. De tarde, após a reunião com Bona, o Comando Sindical Docente irá se reunir novamente para avaliar a situação.

 

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar