5º Boletim de Greve da UEL

 em Boletins

Em Assembleia realizada nesta quarta-feira (24), no Anfiteatro Cyro Grossi “Pinicão” do CCB, os Docentes da Universidade Estadual de Londrina (UEL) deliberaram pela suspensão da Assembleia e sua manutenção aberta até que uma nova data para a continuidade dos trabalhos seja marcada. Não houve uma deliberação sobre a greve; a greve continua. Por isso e para cumprir questões legais de tempo de convocação de uma Assembleia, a desta quarta-feira (24) permanecerá aberta e continuará em uma nova data, para deliberar sobre a mesma pauta. O Comando Docente de Greve se reunirá no sábado (27), às 9h, no Centro de Vivência do Sindiprol/Aduel (campus próximo ao Sebec), para avaliar os últimos encaminhamentos e deliberar sobre a data para a continuidade dos trabalhos da Assembleia iniciada nesta quarta (24). A data dele deverá ser obrigatoriamente entre segunda-feira (29) e quinta-feira (1).

Neste período de Assembleia suspensa, haverá uma reunião, na quinta-feira (25), da Comissão de Política Salarial do governo com as reitorias das universidades e uma reunião do Comando Sindical Docente junto com os sindicatos mistos que ainda permanecem em greve (Sinteoeste e Sinteemar), na sexta-feira (26), em Maringá. Em Londrina, na quinta-feira (25), será feita uma reunião entre os docentes temporários da UEL e a assessoria jurídica do Sindiprol/Aduel, às 15h, na sala 201 do CCB, o “Piniquinho”.

Atos de esclarecimento, panfletagem e intervenção junto à comunidade externa, principalmente em locais como o Hospital Universitário (HU), o Hospital Central (HC) e o Escritório de Aplicação de Assuntos Jurídicos (EAAJ), todos da UEL, foram aprovados como forma de envolver a comunidade à causa da greve e da universidade como um todo.

Também foi aprovado que a reitoria da UEL seja instada a convocar uma Assembleia Geral Unificada, para discutir a Lei Geral das Universidades (LGU) e a precarização da universidade. Caso ela não faça a convocação, as categorias da universidade (docentes, técnicos e estudantes) se organizarão para fazer o chamamento dela e o reitor deverá ser convocado para participar. O objetivo da Assembleia é discutir a LGU e a precarização da universidade e, portanto, não terá caráter deliberativo sobre a greve de cada categoria. O fechamento das portas da UEL, sugerido na Assembleia desta quarta-feira (24), também será discutido na Assembleia Geral Unificada, que foi encaminhada para acontecer em algum dia até a próxima quarta-feira (31).

Como a renovação e contratação de professores temporários não foi autorizada pela Comissão de Política Salarial, a pauta da greve permanece reivindicando novos concursos e nomeação de servidores já concursados, mas incorpora a situação da necessidade de imediata contratação de professores temporários. Esta medida é emergencial para o início do segundo semestre e continuidade do ano letivo.

Além dos encaminhamentos citados acima, foi deliberado pela elaboração de faixas e panfletos para serem distribuídos em locais públicos e que os chefes de departamentos e colegiados da UEL sejam chamados para prestar depoimento sobre a situação nos cursos que coordenam e a quantidade de temporários neles. Também foi aprovado o envio de uma solicitação para que seja compartilhada com os sindicatos a última minuta da LGU que a Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) tenha desenvolvido.

O Boletim completo pode ser baixado em pdf no:5-boletim-de-greve-da-uel.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar