ASSEMBLEIAS AVALIAM O MOVIMENTO GREVISTA

 em Destaque

Passado o carnaval, assembleias nas UEL, na UENP e na UNESPAR-Apucarana avaliam o quadro geral de mobilização, as ações do governo, e discutem os próximos passos do movimento.

Na UEL a assembleia acontece a partir das 13:30 horas (em primeira convocação) no Anfiteatro Maior do CCH. Na UENP a partir das 19:00 horas no Anfiteatro Thomaz Nicoletti da UENP – Campus Luiz Meneghel/Bandeirante. E na UNESPAR-Apucarana, também a partir da 19:00 horas (em primeira convocação, no Auditório José Berton.

As assembleias vão apreciar um quadro em que o governo do Estado insiste em forçar a aprovação das medidas que liquidam direitos, tendo já anunciado que irá reapresentá-las na próxima semana. Por outro lado o movimento grevista no Estado se amplia com a adesão, por exemplo, dos funcionários do Detran, e a possibilidade de uma greve geral do funcionalismo público estadual.

Além de passeatas e atividades diversas de divulgação do movimento, as lideranças dos servidores das Universidades, em conjunto com os demais servidores do Estado em greve, trabalharam no sentido de uma ampla articulação que resultou no oficio encaminhado ao governo que reproduzimos a seguir, síntese dos esforços de todos para a tentativa de unificação do movimento contra os ataques do governo Beto Richa.

OFÍCIO CONJUNTO É TENTATIVA DE UNIFICAÇÃO DA GREVE

O FES- Fórum Estadual dos Servidores e demais entidades Sindicais, após discussão e avaliação no conjunto dos servidores, está orientando às entidades sindicais uma greve geral tendo como objeto uma pauta unificada em defesa dos direitos dos servidores e do serviço público e a retomada de negociação coletiva junto ao governo.

Diante do exposto, vimos, pelo presente, solicitar que Vossa Excelência agende uma reunião conjunta Casa Civil/SEAP com a Coordenação do FES, e um representante por entidade sindical do FES no dia 24 de fevereiro de 2015, período da tarde, tendo em vista que as lideranças sindicais estarão reunidas no mesmo dia no período da manhã em Curitiba.

Pauta unificada que deverá ser atendida para suspensão da greve:

1- Retomada da negociação coletiva, conforme convenção 151 da OIT, com o conjunto dos servidores;

2- Compromisso do Governo de não retornar os projetos de lei para a Alep (tanto da Previdência como o de retirada de direitos dos servidores), pagamento em dia de salários e cumprimento da data base em maio;

3- Negociação imediata sobre o pagamento de todos os atrasados das diversas categorias (planos, correções/reestruturações/incorporações de gratificações, reenquadramento, desenvolvimentos nas carreiras/progressão e promoção, auxílio refeição, auxílio transporte, terço de férias);

4-  Abertura de debate sobre o fortalecimento do serviço público com concursos públicos e fim das terceirizações.

Assinam: A coordenação do FES, e mais os seguintes sindicatos Sindiseab, APPSindicato, Sindsaúde, Sinteemar, Sipol, Sindespol, Sisdep, Andes-Sinduepg, Sindsec, Sintespo, AssuelSindicato, Sintesu, Sindiunespar,  Unespar, Sindiprol/Aduel e Adunicentro.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar