DATA-BASE JÁ!!!

 em Boletins

O governo de Ratinho Jr. tem dado continuidade à política de arrocho salarial dos seus antecessores imediatos: Beto Richa e Cida Borghetti. Embora queira transparecer modernidade e disposição para o diálogo, o governador age de modo intransigente: tem se negado não apenas a abrir uma mesa de negociação ou sinalizar algum reajuste aos servidores, mas até mesmo a receber os dirigentes sindicais para tratar do assunto.
Por conta dessa intransigência e da defasagem salarial acumulada (cerca de 17% em 3 anos e meio; ou seja, o equivalente a 2 salários por ano), os docentes da UEL, em decisão tomada na assembleia de 25.04, reiteraram a paralisação indicada pela assembleia anterior (17.04). Com isso, neste 29 de abril, os docentes paralisarão as atividades e se somarão à luta dos técnicos-administrativos e dos outros servidores do estado.
Não podemos ser omissos na luta pelos nossos direitos. Lutar é difícil, mas todos perdem com a política de arrocho salarial mantida pelo governo – inclusive, também perde quem sabota a luta. Portanto, lutar pelo reajuste e respeitar a decisão da assembleia da categoria é um dever de todos. Sem luta não há vitória!

REAJUSTE SALARIAL É DIREITO!

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!
SINDIPROL/ADUEL

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar