Em Londrina, manifestantes cobram educação para todos

 em Boletins

Na sequência dos dias 15 e 30 maio e do 14 de junho, a terça-feira, 13 de agosto, foi mais um dia de paralisação nacional em defesa da educação pública e contra a reforma da previdência, os cortes de verbas e ataques dos governos nacional e estadual, realizados com, por exemplo, o “Future-se” e a Lei Geral das Universidades (LGU), respectivamente.

Em Londrina, a manifestação foi organizada pelo Comitê Unificado, formado por várias Frentes, Movimentos Sociais e Sindicatos como o Sindiprol/Aduel. Na UEL, a paralisação desta terça-feira havia sido tirada na Assembleia Geral Docente do dia 31 de julho.

A concentração do ato em Londrina foi feita no Calçadão, em frente às Pernambucanas, a partir das 15h. Por volta das 18h30, os presentes saíram em marcha até a Concha Acústica, passando, por exemplo, pelo Terminal Central da cidade. O dia se encerrou com atrações da cena cultural regional se apresentando na Concha Acústica.

Postagens Recentes
Comentários
pingbacks / trackbacks
  • […] O momento não é fácil para o funcionalismo público. Seja de Ratinho Jr. (PSD) ou de Jair Bolsonardo (PSL), os ataques ao serviço público e, em especial, às universidades públicas não cessam de aparecer. O primeiro semestre de 2019 foi marcado pela campanha salarial visando a recomposição das perdas de 17,04%, referentes aos últimos três anos e meio, e pela introdução da minuta de Lei Geral das Universidades (LGU) no debate das universidades estaduais do Paraná – isso sem contar temas como a Greve Geral de 14 de junho contra a Reforma da Previdência e as manifestações contra os cortes na educação nos dias 15 e 30 de maio e 13 de agosto. […]

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar