No sábado (20), manifestantes em todo o Brasil foram às ruas contra o racismo e pelo “Fora Bolsonaro”; confira como foi a manifestação em Londrina

 em Boletins, Destaque

Neste sábado (20/11), Dia da Consciência Negra (confira mais abaixo), manifestantes em todo o Brasil foram às ruas em defesa da defesa da igualdade racial, da vida, da democracia e do emprego, contra a carestia e a fome e pelo “Fora Bolsonaro”. Segundo informações do Andes-Sindicato Nacional, estavam previstos protestos em mais de 80 cidades.  

Em Londrina, a concentração foi realizada em frente ao antigo Coreto, no Calçadão da cidade, a partir das 9h. O protesto, organizado pelo Coletivo de Sindicatos de Londrina e pelo Comitê Unificado, saiu, posteriormente, em marcha até a Concha Acústica, onde estavam sendo realizadas outras atividades, como a 2ª Feira Afrocriativos, que se estendeu das 9h às 19h. Confira mais imagens ao final.   

Desde a convocação para a primeira das manifestações, realizada no dia 29 de maio (29M), temos destacado que, para nós, servidores públicos, elas são também dias de luta em prol do fortalecimento dos serviços públicos e em defesa de nossos direitos. De maneira igual às outras manifestações, a deste sábado foi toda realizada respeitando os protocolos de biossegurança preconizados pelas autoridades sanitárias.   

Além da manifestação de sábado, nesta segunda-feira (22/11), em Curitiba, servidoras e servidores públicos do Paraná realizaram um ato pela reposição salarial. Desde a última reposição integral da inflação, em janeiro de 2016, que foi um dos resultados da nossa greve de 2015, os salários já perderam 32% do seu valor. Esta manifestação foi organizada pelo Fórum das Entidades Sindicais (FES) e pela União das Forças de Segurança (UFS). Confira imagens e outras informações sobre ela aqui 

– Fora Bolsonaro/Mourão!   

– Em defesa da igualdade racial! 

– Contra o desemprego, a carestia e a fome!   

– Pelo fim do arrocho salarial e pela valorização dos serviços públicos!   

– Contra a reforma administrativa (PEC 32/2020)!   

– Por vacina para todos e todas!   

– Pelo auxílio emergencial de 600 reais para todos os necessitados!   

– Pela manutenção das liberdades democráticas! 

20 de novembro

O 20 de novembro foi instituído como Dia da Consciência Negra pela Lei nº 12.519, de 2011. A data marca o assassinado de Zumbi dos Palmares, em 1695, uma referência da luta do povo negro no Brasil. Além do dia, durante todo o mês de novembro atividades e manifestações chamam atenção para a necessidade de ampliar a luta antirracista e o combate às desigualdades sociais marcadas pelo racismo para avançarmos em uma sociedade mais justa. 

Embora a escravatura tenha sido abolida no país em 1888, as pessoas negras continuam sofrendo com o racismo estrutural, expresso na desigualdade de acesso à educação e saúde de qualidade, aos demais direitos e a empregos com salários decentes e iguais aos pagos às pessoas brancas, por exemplo, além da violência concreta e simbólica do racismo, vivenciada diariamente por mulheres negras e homens negros. 

Uma pesquisa da Rede Penssan, com dados de 2020, mostrou que quando a pessoa de referência na casa é negra, 10,7% das famílias convivem com a fome; se é branca, 7,5%. Dados do início de julho mostram que as mortes por doença respiratória durante a pandemia cresceram 71% entre os negros e 24,5% entre os brancos. Maioria da população, negros e negras receberam apenas 23% das vacinas contra a Covid-19 no Brasil.  

O Andes-SN deliberou durante o 63º Conad, em 2018, a construção de um Dia de Luta contra o Racismo nas Instituições de Ensino (IES). A data escolhida foi 22 de novembro, dia que marcou o início da Revolta da Chibata, liderada por João Cândido no Rio de Janeiro (RJ) em 1910. Além disso, em 2019, o Sindicato Nacional divulgou uma Cartilha de Combate ao Racismo, que se soma ao conjunto das estratégias de enfrentamento às opressões. Confira a cartilha aqui 

No mês do Orgulho Negro, nós, do Andes-Sindicado Nacional, não podemos deixar de destacar a história de mulheres fortes que lideraram, em diferentes épocas, movimentos históricos que acabaram mudando as formas de luta.

Por isso, nos próximos dias, te convidamos para celebrar um pouco as conquistas e legados que cada uma dessas mulheres pretas deixou. Todos os dias até o final do mês, no Instagram e também no Facebook do Sindicato Nacional.

Confira alguns registros da manifestação realizada em Londrina no sábado (20): 

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar